[cc-br] 'Informática' e Tecnologia de Informações

André Nunes dede.mathias at gmail.com
Fri May 22 10:51:28 EDT 2009


Paulo,

Você poderia me indicar alguma fonte para esta distinção que você traçou?

Reconheço que dizer que "tecnologia da informação" é apenas um nome da
moda para a antiga "informática" é uma distinção leviana dos dois
signos, mas a sua exposição me soou como uma ideologia orwelliana se
apropriando da língua.

Atrelar informática com "pirataria" (outro termo que as indústrias da
mídia também trataram de corromper) me parece um abuso. Da definição
do Priberam:

Informática: s.f. Ciência que se ocupa do tratamento automático e
racional da informação considerada como suporte dos conhecimentos e
das comunicações, que se encontra associada à utilização de computador
e seus programas.

Nunca realizei nenhum estudo sobre a origem desta "nova moda" da
Tecnologia da Informação. Porém, ao que me parece, a mudança do nome
se deve ao fato de que informática trazia em seu significado os
computadores e os softwares como ponto central da análise, ao passo em
que Tecnologia da Informação é uma expressão mais "neutra" ao objeto e
mais focada na finalidade. O núcleo de atração é a "informação", que
hoje os computadores e redes tratam de organizar, mas que também pode
ser elaborada, tratada e organizada de outras formas que não
exclusivamente por meio de computadores e softwares. Por isso,
tecnologia da informação, ao invés de "informática" ou "computação".



André Nunes Batista

http://tagesuhu.wordpress.com/



2009/5/21 Paulo Augusto de Castro Soares <pacs at uol.com.br>:
> Caro André,
>
> Entendo que "Tecnologia de Informação" não é um nome 'fashion' para o
> que antes chamávamos de Informática. A diferença entre ambas é profunda
> e tem, creio, interesses econômicos e jurídicos.
>
> É preciso entender que em países como Brasil ou Índia, a chamada
> INFORMÁTICA se nutre da violação da propriedade intelectual. Neste
> sentido, ela nada mais é do que suporte 'oficioso' às práticas de
> pirataria. Este é um aspecto central da INFORMÁTICA na formação de
> mão-de-obra 'técnica', que nada tem a ver com desenvolvimento de
> tecnologia ou inovação.
>
> A INFORMÁTICA dá origem a uma indústria de 'serviços de customização'
> com pequeno valor agregado, que só pode ser compreendida verdadeiramente
> nas RELAÇÕES DE TRABALHO e cuja função econômica é vender 'propriedade
> intelectual' de Corporações estrangeiras para a atividade produtiva ou
> para o Governo.
>
> Por outro lado, a Tecnologia da Informação é um fenômeno totalmente
> diverso. Algum livro diria que a Tecnologia de Informação seria a união
> da área de processamento de dados com a área de telecomunicações. A
> analogia caricata da INFORMÁTICA aqui seria a WEB e seus Orkuts. Tal
> como na Informática, o 'valor agregado' da Internet é invísivel numa
> economia como a nossa. Ao contrário, ela corresponde à possibilidade de
> uma brutal concentração dos sistemas de informação nos países centrais.
>
> Estou certo de que com a crise de seu modelo, a proteção aos direitos da
> INFORMÁTICA se dará num ramo do Direito de TRABALHO, pelo total
> 'achatamento' do conteúdo local em termos de valor agregado.
>
> Por outro lado, a remuneração da propriedade intelectual e da utilização
> *REMOTA* de  tecnologias das matrizes (via sistemas remotos nas
> matrizes) passará a ser uma questão privada, do comércio intra-muros de
> grandes Corporações, realidade que, convenhamos, é bastante opaca ao
> direito público.
>
> O Brasil, pátria do celular analfabeto, continuará vendo tecnologia onde
> já não há.
>
> PA
>
>
> _______________________________________________
> cc-br mailing list
> cc-br at lists.ibiblio.org
> http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br
>



More information about the cc-br mailing list