[cc-br] Licenças musicais

Raissa Martins raissamartins at hotmail.com
Fri Jul 24 12:19:39 EDT 2009


Não concordo.
Imagina se para viver o Vinícius seja um advogado, ele vai deixar todo mundo copiar as peças processuais dele, resultado de estudo, de pesquisa e emprenho, uma criação do intelecto dele?
Imagina se ele for um músico, ele vai gravar a bateria dele num disco, recebe um cachê e a gravadora pega o file da gravaçào da bateria dele e da para quem quiser usar em qualquer produção de graça!!!
Imagina? 

Acredito que devemos respeitar o criador. Devemos respeitar a lei, até que ela seja revogada.
O cara trabalha num órgão publico e vai agir dessa forma transgressora por que? A troco de que?
Pergunto:
1. Você pagou o estúdio?2. Vai pagar a fábrica para prensar o produto?3. Pagou alguém para fazer a capa?
Por que não pagar pela utilização da música? Uma vez que sem ela o produto não existe? Por que vocês não escolhem músicas em dominio publico? Por que não criam suas próprias canções?
Você sabe de quanto você esta falando? 
Com certeza alguns autores vai lhe conceder o uso sem ônus, por outro lado, você pode encontrar autores que não desejem doar sua canção a esse projeto. Um DIREITO.
Vale dizer que para o projeto em questão o ECAD não tem nada a ver com isso. A principio pelo exposto nem as gravadoras. 
Caso o Paulo deseje uma avaliação concreta sobre o projeto, pode me enviar um e-mail com a lista das músicas e como o projeto ocorrerá de fato que emito um parecer mais objetivo e direto em cima do fato concreto.
Abraços, 



Raissa Martins
55 71 9963 1386
Não imprima papel, preserve o meio ambiente.



From: williamriga at popmidia.com.br
To: cc-br at lists.ibiblio.org
Subject: Re: [cc-br] Licenças musicais
Date: Fri, 24 Jul 2009 09:02:29 -0300










Caros,
 
Sobre usar músicas antigas, se a composição 
(autoria) tiver caído em domínio público ela pode ser usada.
No entanto, tem que ver se a 
interpretação das mesmas também se enquadram nesse quesito. Pois a Lei (sim, ela mesma!) protege os direitos não só do autor, 
mas também do intérprete (seja um cantor, os músicos que tocaram na gravação) e 
até da gravadora, conforme o contrato com os artistas.
Tem que observer tudo isso. E 
respeitar.
 
Quanto às leis, elas 
existem para serem seguidas, pois vivemos em sociedade.
O problema é que 
tem gente que prefere seguir a "Lei de 
Gerson"...

 
Abs,
William 
Riga
----------------
Popmídia Talentos
www.popmidia.com.br
-----------------------
Quer lucrar com o seu talento?
Nós podemos ajudar! Saiba como >> www.popmidia.com.br/pro
-----------------------------------------------------------------

 
 
 
 

  ----- Original Message ----- 
  From: 
  Vinícius de 
  Araújo Oliveira 
  To: Creative Commons Brazil 
  Sent: Friday, July 24, 2009 12:25 
AM
  Subject: Re: [cc-br] Licenças 
  musicais
  
Prezados,

Na verdade, se a pessoa for de uma associação 
  civil sem fins lucrativos, e distribuir em pequena escala, ninguém vai nem 
  perceber. Ai cabe a proporcionalidade e a razoabilidade.

No caso dele, 
  como é Prefeitura, recomenda-se mais cautela e agir dentro da lei, pois as 
  implicações legais são maiores.

Há que se verificar, todavia, se as 
  música não são mais antigas, pois podem ter caído já em domínio público - 
  apesar de o prazo no Brasil ser longo demais - 70 anos após a morte do 
  autor.

Aqui no Brasil a gente tem mania de preocupar com a lei em 
  primeiro lugar. Isso não é muito inteligente. Temos que nos preocupar com o 
  Direito, com o que é justo, em primeiro lugar. A lei, se não estiver adequada, 
  a gente muda: isso chama democracia.

Att.

Vinícius



  2009/7/23 Jailton Lopes <jailton at gmail.com>

  Vinícius, Esta atitude não vai gerar uma dor de cabeça 
    desnecessária?
Não é mais indicado perdi autorização para 
    gravadora?

--Jailton Lopes




2009/7/23 Vinícius de 
    Araújo Oliveira <vinicius77 at gmail.com>:

    
    
    > Paulo,
>
> Discordo do 
    Willian.
>
> Não peça autorização a ninguém e distribua o 
    material. Apesar de não haver
> "fair use" no Brasil, os princípios de 
    proporcionalidade e razoabilidade os
> torna praticamente imunes a 
    ações de cobrança de direitos autorais.
>
> Não se preocupe com 
    isso. Se o ECAD os procurar, faça um escândalo, dizendo
> que isso é 
    um absurdo, desproporcional, contrário ao interesse público e que
> a 
    lei de direitos autorais no Brasil precisa ser revisada.
>
> É o 
    que eu faria.
>
> Att
>
> Vinícius 
    Oliveira
>
>
>
> 2009/7/23 <williamriga at popmidia.com.br>
>>
>> 
    Paulo,
>>
>> Mesmo o trabalho sendo sem fins lucrativos é 
    imprescindìvel solicitar
>> autorização dos autores das 
    músicas.
>> Isso deve ser feito por meio das 
    gravadoras.
>> Entre em contato com cada uma delas, peça para falar 
    com o responsável
>> pelo licenciamento de direitos autorais ou da 
    área jurídica da empresa, e
>> explique o seu 
    projeto.
>>
>>
>>
>> 
    Abs,
>>
>> William Riga
>>
>> williamriga at popmidia.com.br
>>
>> 
    (18) 3916-3237
>>
>> 
    ----------------
>>
>> Popmídia 
    Talentos
>>
>> www.popmidia.com.br
>>
>> 
    -----------------------
>>
>> Quer lucrar com o seu 
    talento?
>> Nós podemos ajudar! Saiba como >> www.popmidia.com.br/pro
>> 
    -----------------------------------------------------------------
>>
>>
>>
>> 
    ----- Original Message -----
>> From: Paulo Bicarato
>> 
    To: cc-br at lists.ibiblio.org
>> 
    Sent: Thursday, July 23, 2009 2:09 PM
>> Subject: [cc-br] Licenças 
    musicais
>> Caros,
>>
>> trabalho em uma 
    prefeitura, no interior de São Paulo. Temos um
>> projeto, 
    desenvolvido pela Guarda Civil, de iniciação musical,
>> voltado 
    principalmente para crianças e adolescentes 
    carentes.
>>
>> No ano passado, as crianças gravaram um 
    CD, que deverá ser
>> distribuído em escolas. As músicas são 
    ecléticas: há desde MPB
>> a canções folclóricas e outras já de 
    domínio público.
>>
>> Existe alguma restrição, ou 
    exigência, com relação ao licenciamento
>> dessas 
    músicas?
>>
>> Ressaltando: é um projeto socioeducativo, 
    sem fins comerciais -- mas,
>> de repente, algum burocrata levantou 
    a questão...
>>
>> Se alguém puder me *dar uma luz*, 
    agradeço desde já.
>>
>> --
>> :: Paulo Bicarato 
    ::
>> :: http://www.alfarrabio.org ::
>> :: http://twitter.com/bicarato ::
>> :: http://meadiciona.com/bicarato ::
>>
>> 
    ________________________________
>>
>> 
    _______________________________________________
>> cc-br mailing 
    list
>> cc-br at lists.ibiblio.org
>> 
    http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br
>>
>> 
    _______________________________________________
>> cc-br mailing 
    list
>> cc-br at lists.ibiblio.org
>> 
    http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br
>>
>
>
>
> 
    _______________________________________________
> cc-br mailing 
    list
> cc-br at lists.ibiblio.org
> http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br
>
>
_______________________________________________
cc-br 
    mailing list
cc-br at lists.ibiblio.org
http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br


-- 
Vinícius de Araújo Oliveira
Profissional Nacional 
  OPAS-OMS

Em colaboração descentralizada com
Departamento de Gestão 
  da Educação em Saúde - Ministério da Saúde

E-mail: 
vinicius.oliveira at saude.gov.br

Telefone: 
  (61) 3226-4668
FAX: (61) 3315-2974
Celular: (61) 9963-0226

“It is 
  not the critic who counts, not the man who points out how the strong man 
  stumbles, or where the doer of deeds could have done better.  The credit 
  belongs to the man who is actually in the arena, whose face is marred by dust 
  and sweat and blood, who strives valiantly; who errs, and comes up short again 
  and again; because there is not effort without errors and shortcomings; but 
  who does actually strive to do the deeds; who knows the great enthusiasms; the 
  great devotions; who spends himself in a worthy cause, who at best knows in 
  the end the triumphs of high achievements and who at the worst, if he fails, 
  at least fails while daring greatly, so that his place shall never be with 
  those cold and timid souls who know neither the sweet taste of victory nor the 
  bitter feeling of defeat.”

Theodore Roosevelt


  
  


  
_______________________________________________
cc-br mailing 
  list
cc-br at lists.ibiblio.org
http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/cc-br

_________________________________________________________________
Novo Internet Explorer 8. Baixe agora, é grátis!
http://brasil.microsoft.com.br/IE8/mergulhe/?utm_source=MSN%3BHotmail&utm_medium=Tagline&utm_campaign=IE8
-------------- next part --------------
An HTML attachment was scrubbed...
URL: http://lists.ibiblio.org/pipermail/cc-br/attachments/20090724/47cf4686/attachment.html 


More information about the cc-br mailing list