[cc-br] Fwd: [Gremio2006] Tr: [esquerda_da_une] Contribuição para as Executivas e Federações

Felipe Sanches felipe.sanches at gmail.com
Sun Aug 20 23:20:58 EDT 2006


---------- Forwarded message ----------
From: Rodrigo Rodrigues da Silva <pitanga at gremio.poli.usp.br>
Date: Aug 20, 2006 10:21 PM
Subject: Fwd: [Gremio2006] Tr: [esquerda_da_une] Contribuição para as
Executivas e Federações
To: compcoop08 at yahoogrupos.com.br, Juca <felipe.sanches at gmail.com>,
Leandro Lameiro <lameiro at gmail.com>



UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES
UNELivre - Inclusão Digital
 www.une.org.br/livre *
* *

**Contribuição da Diretoria de Inclusão Digital da UNE para os Encontros
e Congressos das Executivas e Federações de Curso - julho/2006** **

****

O movimento estudantil vem travando nas últimas décadas diversas lutas
em defesa da educação, da democracia na universidade e em torno de
muitos outros temas. Na década de 90, com o surgimento da internet e a
massificação da comunicação on-line, o cenário começou a mudar. O
próprio ME ficou mais dinâmico, diversas executivas de curso conseguiram
se articular melhor, enfim, muita coisa mudou. Só uma coisa não mudou: a
cultura do software.

O Brasil aparece como um dos países com o maior índice de */pirataria/*
de software do mundo e essa cultura, iniciada nos anos 90 está cada vez
mais presente. A novidade é que nós temos a opção de não ser piratas,
basta utilizarmos o *Software Livre*.

Um ponto central é que a opção pelo *Software Livre* representa um duro
golpe nas grandes multinacionais do "software de caixinha" da Europa e
Estados Unidos e que correspondem a grandes partes do PIB destes países.
Utilizar Software Livre não se resume a uma opção técnica, é uma opção
ideológica.

Existe uma falsa impressão de que, praticando a pirataria, você está
"passando a perna" nas empresas. Isso não é verdade. As empresas de
software se apoiam na chamada /"rede corsária"/ que massifica o uso do
software proprietário mostrando que o usuário só tem aquela opção e
faturando lá na frente quando as empresas e universidades, que são
obrigadas a utilizar softwares legalizados, gastam fortunas em licenças.

O movimento estudantill não pode fechar os seus olhos para um cenário
como esse. Ainda mais se pensarmos que no cálculo dos preços das
mensalidades nas universidades particulares, o custo de licenças de
software é um custo considerável.

Convidamos você a fazer parte deste debate e defender a universidade
pública, gratuita, de qualidade com uso e desenvolvimento de Software Livre.

* **SOFTWARE LIVRE ** *

O Software Livre é um programa de computador que oferece quatro
liberdades para o usuário: *executar, estudar, modificar e distribuir* o
programa para quem quiser. Essas liberdades são possíveis graças ao
*código aberto*. No Software Livre, a tecnologia que está por trás do
seu desenvolvimento está disponível para todos e isso abre um leque
enorme de possibilidades. Os Softwares Livres são mantidos por
comunidades de desenvolvedores que trabalham voluntáriamente nos
projetos. E você pode fazer parte de uma comunidade dessas. Basta ter
vontade de ajudar.

* Na Universidade, a opção é um direito***

Você pode perceber que existem dois tipos de software: o proprietário e
o livre. A questão: alguma vez a sua universidade te disse isso? Pois é,
este é o ponto central desse debate. As Executivas e Federações de Curso
precisam começar a agir decisivamente, junto com a UNE colocando na sua
pauta de reivindicações a exigência de que as universidades ofereçam em
seus laboratórios a opção ao estudante. Ele deve ter o direito de
direcionar o aprendizado do seu curso, independente da área, utilizando
o software livre, o software proprietário, ou ambos. Lembre-se: *você
tem o direito de escolher.*

**

* Investimento Profissional***

**

Muitas universidades particulares não utilizam Software Livre e
justificam dizendo que "o mercado não usa". Isso não é verdade. A
utilização de Software Livre nas empresas tem crescido muito nos últimos
anos e mais de 80% das empresas pensam em utilizar Software Livre a
médio prazo. Com isso, chegar ao mercado depois de 4 ou 5 anos e perder
uma vaga por falta de conhecimento na área não é aceitável. É obrigação
da universidade, especialmente a pública, formar profissionais
 capacitados também no uso e no desenvolvimento de programas livres.

* Conhecimento e Cultura Livre***

Por resolução do 49o. CONUNE, a UNE passou a adotar a licença */Creative
Commons/* em todas as suas publicações. O primeiro documento da UNE sob
essa licença é o Projeto Brasil. O Creative Commons, ou /*CC*/, é
utilizado quando o autor da obra deseja dar certas liberdades, como a
reprodução para usos não comerciais, ou o direito a alteração com
referência ao autor. Trata-se de uma iniciativa importante, uma vez que
já existem mais de 1,4 milhões de obras licenciadas sob o /*CC*/ no
mundo e esse número só vem crescendo. Na universidade, a preocupação
sempre é como proteger a sua descoberta. O /*CC*/ vem para incentivar a
disponibilização de qualquer obra, como teses, monografias, textos,
arte, música e descobertas científicas.

* 1º. Seminário Nacional de Inclusão Digital e Democratização da
Informação (SENID) da UNE***

Com o objetivo de ampliar o debate sobre a Inclusão Digital, o Software
Livre, o uso da tecnologia na educação e a Liberdade do Conhecimento, a
UNE realiza em novembro o seu primeiro seminário temático sobre Inclusão
Digital. O *SENID* acontece de *09 a 12 de novembro de 2006* em São
Paulo - SP, junto com a 4ª. Edição do CONISLI, o Congresso Internacional
de Software Livre. O objetivo dessa união é colocar o movimento
estudantil em contato com o movimento de software livre e vice-versa.
 Organize a caravana de sua universidade e participe!

* Portal UNELivre: www.une.org.br/livre
 ** *

/Para saber mais sobre esses temas, para convidar a Diretoria de
Inclusão Digital da UNE para palestras e debates e para colaborar com os
nossos projetos acesse o Portal UNELivre./

*Leandro Chemalle - UFSCar
Diretor de Inclusão Digital
UNELivre - União Nacional dos Estudantes
leandro at une.org.br - www.une.org.br/livre *

Creative Commons



More information about the cc-br mailing list