[AI] O lugar do Arquiteto

Guilhermo Reis reis em guilhermo.com
Terça Maio 20 10:26:01 EDT 2008


Pessoal,

Só complementando a "heresia" do Agner tem um autor americano (acho que é
Lathan) que afirma que o mundo com certeza precisa da Arquitetura de
Informação, mas ele tem dúvidas se o mundo precisa de arquitetos de
informação. Para esse autor a Arquitetura de Informação deve permear todas
as áreas do conhecimento e fazer parte das ferramentas básicas que você
aprende na escola, como matemática elementar.

É claro que a AI que você aprenderia na escola seria o básico, suficiente
para resolve pequenos problemas de organização (dentro ou fora da web).
Quando você tiver de resolver um problema mais complicado se irá procurar
profissionai especializados.

Eu particularment acho muito importante que outros profissionais
tenham alguma noção de AI, Usabilidade, User Experience, etc. porque isso
ajuda a aumentar a importância do tema, aumenta a demanda e cria mercado. Se
você nem sabe que AI existe como é que você vai querer contratar um
arquiteto de informação?

Por isso sugiro a todos que expliquem para a maior quantidade de pessoas
possível que bicho é esse AI.

Abraços,

...................... Guilhermo

2008/5/20 Luiz Agner <luizagner em gmail.com>:

> Oi, galera.
>
> Vamos lembrar tb que, além de ser uma área de atuação profissional
> específica com inserção no mercado de trabalho e agências de publicidade, a
> AI também pode ser considerada um campo de conhecimentos interdisciplinares
> que envolve a sensibilidade para a Ciência da Informação, o Design, o
> Jornalismo, a Ergonomia, a IHC, a Administração etc.
>
> Nesse caso, acho importantíssimo que, do lado dos clientes, dos
> contratantes, haja sempre profissionais que sejam capazes de enxergar as
> demandas e de orientar ou validar os projetos, com os olhos atentos de um
> AI.
>
> Seja qual for a autodenominação ou a autoclassificação funcional do
> profissional que está atuando dentro de uma organização solicitante, tudo
> sairá bem mais afinado com os objetivos finais do usuário se este conhecer
> um pouco mais sobre as noções básicas e os conceitos essenciais da
> Arquitetura de Informação.
>
> No IBGE, onde eu trabalho, tenho visto na prática a importância de que
> houvesse mais conhecimentos sobre AI e Usabilidade, disseminados
> internamente, entre os diferentes departamentos e profissionais,
> independentemente dos rótulos e autodenominações.
>
> Em suma, e se me permitem a heresia e a ousadia da conclusão:
> -- a Arquitetura de Informação é algo importante demais para ficar nas mãos
> dos arquitetos de informação.
>
> [  ]s
> LA
>
> --
> Atenciosamente,
> Luiz Agner
>
>
>
> ------------------------------------------------------------------------------------
> Luiz Agner, D.Sc.
>
> Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística / IBGE
> Escola Nacional de Ciências Estatísticas / ENCE
> Gerência de Educação a Distância / CTA-EaD
>
> UniverCidade / Escola de Desenho Industrial
> Instituto de Artes Visuais / IAV
> http://www.univercidade.br/iav/index.html
>
> MSN: <agner_ead em yahoo.com.br>
> Gmail: <luizagner em gmail.com>
> Blog: http://www.agner.com.br
> CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2328427339458925
>
> Conheça o livro:
> "Ergodesign e Arquitetura de Informação: Trabalhando com o Usuário"
> Ed. Quartet, 2006 - ISBN: 858569680X
> Disponível nos sites das livrarias: Saraiva, Submarino, 2AB e Cultura
> http://www.univercidade.br/iav/professores_agner.htm
>
> ------------------------------------------------------------------------------------
>
>
>
>
> 2008/5/14 ale nahra <alenahra em gmail.com>:
>
>> Lembro que AI deve existir também para outros contextos que não apenas
>> sites abertos - por exemplo, intranets e portais corporativos. Nesses casos,
>> muitas vezes agências web nem são envolvidas -  vejam abaixo a opinião do
>> consultor Ricardo Saldanha:
>>
>> "O universo das intranets, extranets, portais corporativos (e quantas
>> outras denominações você possa encontrar…) é o mundo "não-B2C". O uso do
>> ambiente digital está voltado para melhoria dos processos de negócio, para
>> aumento da produtividade. O cliente não é um consumidor, mas sim o
>> "trabalhador do conhecimento", como bem definiu Peter Drucker. E as
>> disciplinas primordiais envolvidas são a Ciência da Informação e a Gestão do
>> Conhecimento - e não webmarketing. Isso muda tudo. É a razão pela qual
>> agências web entendam pouco do mundo corporativo. Logo, em geral, não reúnem
>> competência para desenvolver projetos voltados para intranet ou portal
>> corporativo (embora a maioria delas coloque em suas ofertas a possibilidade
>> de criar desde sites até intranets, na linha do "é tudo a mesma coisa")."
>>
>> http://ricardosaldanha.wordpress.com/
>>
>> Mesmo assim, o trabalho do arquiteto de informação é fundamental. E por
>> isso, tem trabalho para AIs fora de agências (em consultorias etc) e, como
>> falamos na palestra do EBAI ano passado, cada vez mais vai ter trabalho para
>> AIs dentro do cliente, que precisa manter e fazer crescer de forma orgânica
>> seus ambientes digitais - internet, intranet, extranet etc.
>>
>>
>
>
>
> . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
> Ao responder, elimine o texto não essencial
> de mensagens anteriores e evite formatação.
>
> Lista de discussão AIfIA-pt
> AIfIA-pt em lists.ibiblio.org
> Arquitetura de Informação em Português
> http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/aifia-pt
>



-- 
Abraços,

............................ Guilhermo
www.guilhermo.com
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://lists.ibiblio.org/pipermail/aifia-pt/attachments/20080520/40e2772a/attachment.html 


Mais detalhes sobre a lista de discussão AIfIA-pt