[AI] RES: O lugar do Arquiteto

Guilhermo Reis reis em guilhermo.com
Domingo Maio 18 22:03:46 EDT 2008


Pessoal,

Acredito que ter arquitetos de informação dentro de empresas depende muito
mais das características do mercado e decisões estratégicas da empresa. É a
decisão que todo diretor tem que tomar: verticalizar ou terceirizar. A
decisão de um ou outro não depende apenas ser foco da atividade da empresa.
Existem muitos outros fatores.

Quando o Banco Real decidiu montar uma área de AI, que fazia parte de uma
área maior de projetos Web, na época tinhamos uma demanda muito grande de
projetos. Por isso nem todos os projetos eram feitos internamente. Muita
coisa era feita fora e a área de AI coordenava agências. Como na época isso
era estratégico para o Banco Real, da mesma forma que imagino que está sendo
estratégico para a Gerdau agora, tinhamos uma área interna dedicada à AI.

O cenário atual do Banco Real mudou. Apesar de ainda ter alguns arqutetos
internamente a equipe interna está bem reduzida e eles coordenam o trabalho
de agências.

Ah, com relação ao exercício do mapa do Wurman.Aquela é uma linha de trem e
não o metro de Tokio. A inspiração desse exercício veio do mapa do metro de
Londres (sugestão da Mylene Melly), mas o mapa do metro de Londres é muito
grande. O legal do exercício do Wurman é que ele mostra os dois mapas (real
e redesenhado) e o mapa é pequeno e por isso dá para ver o conceito com mais
clareza. Se eu fosse mostrar o emaranhado de linhas do metro de Tokio ou
Londres ia ser muito confuso de apresentar.

Abraços,

......................... Guilhermo
2008/5/17 Uso Design // Bernardo van de Schepop <drops em usodesign.com.br>:

> Pequeno comentário:
>
> <Rafael>
> > No sábado lá na Impacta, uma pessoa questionou o Guilhermo sobre o mapa
> do metrô de Tókio, que usa o ícone do Yin/Yang para ilustrar as estações.
> Aquele mapa NÃO é o mapa oficial do metrô de Tokyo, é uma abstração que o
> Wurman fez para simplificar a linha principal, pois são muitas linhas.
> </Rafael>
>
>
> Cudado aqui. O exercício foi feito daquela maneira, e é possivel que
> seja funcione daquele jeito, porque, do ponto de vista de quem usa o
> metro o que é mais relevante é qual estação está antes e qual está
> depois do ponto onde se está naquele momento. Mesmo que tenhamos uma
> clara referencia geográfica, uma vez dentro da linha, a relação com o
> espaço (geográfico) muda consideravelmente. É pertinente (mesmo que
> questionável) para um metrô subterâneo. Não acho que se pode fazer tal
> abstração com a sinalização de um parque de esculturas onde a relação
> espacial é imprescindeivel para o entendimento da informação.
>  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
> Ao responder, elimine o texto não essencial
> de mensagens anteriores e evite formatação.
>
> Lista de discussão AIfIA-pt
> AIfIA-pt em lists.ibiblio.org
> Arquitetura de Informação em Português
> http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/aifia-pt
>



-- 
Abraços,

............................ Guilhermo
www.guilhermo.com
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://lists.ibiblio.org/pipermail/aifia-pt/attachments/20080518/ed53c12d/attachment.html 


Mais detalhes sobre a lista de discussão AIfIA-pt