RES: [AIfIA-pt] Necessidade de conceito......

Broseghini, Igor Igor.Broseghini em bowneglobal.com.br
Quinta Julho 31 16:57:57 EDT 2003


Concordo, com apenas uma ressalva: temos que ter cuidado para não
replicarmos um modelo que existe lá fora e que pode não se encaixar na nossa
realidade, por questões sociais, econômicas, culturais, sei lá. Lido muito
com clientes Rafael, sou defensor de tudo que vc disse, mas quer saber? Eles
estão se lixando pra teorias complexas, modelos mirabolantes, documentações
que eles não conseguem entender. Eles querem é que vc mostre como vc vai
estruturar o site dele e como isso vai fazer ele economizar $X ou ganhar $y.
Na maior parte dos clientes, essa é a realidade.

Acredito muito na AI como um dos principais componente de um projeto web,
tenho 2 profissionais Arquitetos da Informação na minha equipe, estou
contratando o 3o em breve (alguem se habilita? :-) tem um na lista que não
consegui trazer, mas ainda vou ter o prazer de trabalhar com ele...:-) ),
venho estudando o assunto há tempos e a fórmula que encontrei é tratar o
assunto de forma prática. Modelagens? Diagramas extensos? Ok, mas só se o
cliente pedir.

[]s
Igor





-----Mensagem original-----
De: Rafael Ferraz [mailto:rafael em dialeto.net] 
Enviada em: quinta-feira, 31 de julho de 2003 16:56
Para: Arquitetura da Informacao em Portugues; 'Arquitetura da Informacao em
Portugues'
Assunto: [AIfIA-pt] Necessidade de conceito......



Acho que embolou o meio de campo, estamos confundindo um pouco. Todo o 
esforço da AIFIA, TIA, Rosenfeld, box and arrows, Morville, eu, e até essa 
lista(acredito) é exatamente em  transformar a disciplina  Arquitetura de 
informação em algo prático, teorico e conceitualmente palpável, embasado, 
documentado,  com métricas de avaliação de resultados, com metodologias de 
aplicação, etc. A construção teórica e conceitual da disciplina nada tem a 
ver com cerceamento de criatividade ou idéias, não está amarrada em
processos 
de criação/produção gráfica ou tecnologica de agências e produtoras, está
sim 
amarrada ao compromisso de formar profissionais, especialistas, professores
e 
pesquisadores em AI. Vejam que existe e é muito presente o sentimento de 
quanto é importante e fundamental a conceituação teórica da área pela forma 
com que diversas universidades (lá fora) estão incorporando AI em seus 
programas, com cursos específícos ou afins 
(http://www.asis.org/Board/educationprograms.html) visando formar não o 
técnico  em wireframes, mas o especialista em AI. A PUC Minas lançou um
curso 
de pós na área, se é bom ou ruim não vem ao caso, mas já mostra um movimento

em direção a educação, capacitação e pesquisa.

Rafael Ferraz
rafael em dialeto.net


. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Ao responder, elimine o texto não essencial 
de mensagens anteriores e evite formatação.

AIfIA-pt mailing list
AIfIA-pt em lists.ibiblio.org
http://lists.ibiblio.org/mailman/listinfo/aifia-pt



Mais detalhes sobre a lista de discussão AIfIA-pt